• Dri Photo-Organizer

Curadoria de Fotos aos olhos de uma Photo-Organizer

Um assunto não muito comentado é a Curadoria de Fotos, assunto que deveria acompanhar a produção de nossas fotos.


Os fotógrafos fazem isso como parte do trabalho deles. Dependendo do evento, fotógrafos chegam a tirar cerca de 5000 (cinco mil) fotografias, e dessas ele entregará para o cliente um percentual (previamente combinado entre as partes) que pode chegar a 10%.


Como eles conseguem extrair apenas 500 (quinhentas) fotos de 5000? Eu acredito que é o olhar treinado, além de muito anos de práticas. Fotos de teste, borradas, estouradas, repetidas, sem composição, sem a emoção que ele procura, essas são as categorias de fotos que merecem ser colocadas de escanteio ao fazer a curadoria. O restante, ele vai procurar contar uma história.


Acho importante que devemos passar a olhar as nossas fotos com um olhar mais crítico, fazendo uma curadoria do próprio acervo. Criar o hábito de ver nossas fotos com esse olhar de fotógrafo. Revisitar os nossos registros fotográficos. Eliminar o que não faz sentido.


Penso na curadoria das fotos principalmente quando me encontro selecionando fotos para um álbum, onde a minha intenção é contar uma história, dar um sentido àqueles fragmentos. Esse resultado que eu busco é para, quando visualizar o produto final (no caso, o álbum), que eu (e os outros) possa participar da história, mesmo sem que ninguém esteja ali para contar.



A partir da filtragem já conseguimos perceber o nosso acervo mais significativo, com o que realmente devemos manter, eliminando o excesso. Devemos sempre pensar quantas vezes iremos ver todas as nossas fotos guardadas. Isso já dá mais uma dica de outras fotos que podem ser eliminadas sem comprometer o seu acervo.


A segmentação é a outra parte importante da curadoria de fotos que precisamos ter em mente ao selecionar o que manteremos. A segmentação é criar pequenas linhas de tempo para cada assunto: viagens, festas, eventos, trabalhos, registros no ano, etc. É "contar uma história" com início, meio e fim. É a narrativa, o enredo de suas fotos.


A partir desses dois pontos fundamentais em uma curadoria, passamos a visualizar nosso acervo de fotos com mais enxuto e com significado emocional. Conseguimos partir para os nossos projetos de compartilhar nossas memórias através de álbuns de forma mais natural, pois a pré-seleção já está feita.


Ao seguir para o projeto dos álbuns, só precisamos partir para uma nova curadoria, dessa vez dando ênfase à segmentação, segmentação diferente da anterior, procurando reduzir mais o número de fotos que irão para o álbum. Essa segmentação é importante como a outra, pois ela servirá para a narrativa a ser criada no álbum com as imagens.


É necessário treino de olhar e hábito ao deletar as suas fotos. Isso não vai acontecer com naturalidade de uma hora para outra. Vamos desenvolvendo o nosso olhar crítico ao longo dos nosso processos de curadoria de fotos. O importante é a consistência e a busca pela visão crítica.



Fonte.: Curadoria em Fotografia, da pesquisa à exposição - Éder Chiodetto (http://ederchiodetto.com.br)

274 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo